Resenha #31 - A Garota Que Tinha Medo (Breno Melo)

| |

Autor: Breno Melo                                                                                                                             Editora: Chiado Editora
ISBN: 978-989-51-2331-5
Ano: 2014
Páginas: 280                                                                                                                             Onde comprar: Aqui




Marina é uma jovem que faz tratamento para a síndrome do pânico. Às voltas com o ingresso na universidade, um novo romance e novas experiências, Marina tem seu primeiro ataque de pânico. Sua vida vira de cabeça para baixo no momento mais inapropriado possível e então psiquiatras e psicólogos entram em cena. Acompanhamos suas idas ao psiquiatra e ao psicólogo, o tratamento farmacológico e a psicoterapia. Ao mesmo tempo, conhecemos detalhes de sua vida amorosa e sexual, universitária e profissional, social e familiar na medida em que elas são marcadas pela síndrome. Um tema atual. Uma excelente obra tanto para conhecimento do quadro clínico como entretenimento, narrada com maestria e de uma sensibilidade notável.

Livro cedido em parceria com o autor  


Eu tinha visto uma resenha desse livro no blog Mais Que Livros e me interessou muito. Então quando o autor entrou em contato comigo para firmar uma parceria nem preciso dizer o quanto fiquei feliz. Agradeço desde já ao Breno por ter confiado em meu trabalho e pela oportunidade.

Esse livro teve um peso maior para mim pois meu irmão durante um tempo teve a síndrome do pânico. Foi em uma forma mais leve que a protagonista dessa história e não durou tanto tempo, mas mesmo assim foi um período bastante difícil para a toda família. Quando vi esse livro a sinopse me chamou bastante atenção, até porque não é um tema que a gente encontra muito nos livros. Para mim pelo menos foi a primeira vez que eu li um livro com o tema.

Como eu disse foi uma leitura importante para mim e bastante profunda, então não sei consigo por em palavras tudo o que eu senti, mas espero que fazer um bom trabalho.

A história é contada em primeira pessoa pela protagonista Marina, em forma de memórias. Através das suas 280 páginas vamos conhecendo todas as fases da sua vida. Gostei muito dessa forma do autor contar a história, me fez sentir bastante próxima a Marina e inclusive pude em alguns momentos senti a aflição da personagem.

O livro é composto por sete partes, e elas abrangem cada etapa da vida da protagonista. Sua vida antes da doença, suas primeiras crises, o diagnóstico, seu tratamento, e após o tratamento.

Marina era uma menina tímida e comum que morava no Paraguai. Desde cedo sofreu muita pressão de sua mãe. Ela a obrigava a sempre ir a igreja, a estudar muito, e devido a isso ela cresceu quase isolada. Sua primeira crise acontece em um momento de transição em sua vida.

Depois de sua primeira crise ela ver tudo mudar e a cada nova ela vai perdendo um pouco da sua antiga vida. O namorado a deixa por não entender o que ela está passando e por não querer conviver com uma pessoa "louca", amigos a afastam, já não consegue acompanhar as aulas da faculdade. Além disso, ela vai ficando com medo de passar por algumas situações em que já teve uma crise, pois tem medo que isso possa desencadear outras. 


"Voltar aos lugares onde eu havia tido crises era praticamente impossível. Enfrentar multidões agora me metia medo! E ficar sozinha me deixava ansiosa, porque temia entrar em pânico sem que houvesse alguém de confiança por perto." (pág. 133)

Através das páginas vemos a Marina passar por diversas situações difíceis, a cada crise eu ficava com o coração apertado, pois elas são bem detalhadas, e dessa forma, tão reais. A impressão que eu tive foi a de estar lendo um livro uma biografia. 

O livro mostra os diferentes sentimentos e emoções da Marina a respeito da síndrome. Primeiro ela sentia quase vergonha de estar passando por aquilo, se sentia injustiçada por ter que sofrer tudo isso, em algumas vezes teve raiva das pessoas que não a entendia e continuavam a pressioná-la. Até que em determinado momento, quando ela começa a se tratar, ela aprende a conviver com a doença e se sente relativamente a vontade para compartilhar com outras pessoas através do seu blog literário.


"Eu também gostaria de ter me abandonado ali, voltando apenas quando a crise tivesse acabado. Mas eu era a única que não podia fugir da síndrome. Meu pequeno inferno alegre, que eu amava, havia se transformado num grande inferno triste." (pág. 115)

Acredito que o autor teve que pesquisar bastante a respeito do assunto, pois a síndrome do pânico e tudo que deriva dela estão muito bem explicados. Em alguns momentos são usados vários termos técnicos, e mesmo que complicados, não me senti perdida em momento algum. Algumas pessoas podem achar que é um livro tedioso, mas garanto que não, a narrativa do Breno é extremamente envolvente e ágil e consegui terminar o livro bem rápido.

O livro aborda bastante a fé, dessa forma tem algumas passagens religiosas. Não que me incomode, mas em alguns momentos achei que a personagem divagava demais, e isso me fez tirar um ponto na classificação. Em algumas partes também a pergonagem abordava alguns aspectos de sua vida e se demorava bastante nisso. Algumas passagens abordavam a história do Paraguai, mas isso achei bem legal, pude conhecer um pouco mais sobre o país.

A Garota Que Tinha Medo é uma história extremamente sensível de uma menina que viu sua desmoronar devido a crise, mas que lutou com todas as suas forças para se reerguer. Não foi uma jornada fácil e em alguns momentos ela quis desistir e abandonar o tratamento, mas ela foi persistente. É um livro que fala de amor, fé, esperança e aceitação, mas também fala de medo, preconceitos, raiva. Com certeza eu me emocionei lendo cada pequena vitória que a Marina foi conquistando na tentativa de voltar a ter o controle da sua vida.


"Quem supera seus medos é mais corajoso que aquele que nunca os teve ou jamais os enfrentou." (pág. 204)







21 comentários:

  1. Oi Rafa!
    Eu já tinha visto outras resenhas sobre a obra, e confesso que mesmo a capa não me chamando atenção, a sinopse sim. Achei as temáticas dele muito interessante. Deve ser um daqueles livros que questionam a nossa moral *-* Gosto de leituras assim.
    Achei também interessante a separação da obra. Facilita até a visão do leitor no geral.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu não conhecia o livro, mas o tema original e bastante incomum me chamou bastante a atenção.
    Deve ser interessante e perturbador acompanhar a história pelo ponto de vista da protagonista. Fiquei curiosa. Imagino o sofrimento de Marina...

    Parabéns pela resenha, Rafaella!

    Beijos,
    Amanda
    http://minhasconfissoesfemininas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafa, tudo bem?
    Estou com esse livro para ler e o que mais me chamou a atenção nele foi a síndrome que a protagonista relata. Não sabia que o livro era em forma de relatos e achei esse ponto super interessante. Estou super curiosa para realizar essa leitura, esse assunto me interessa bastante. Fico feliz que você tenha gostado da leitura.

    Beijos
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  4. OOi,

    Eu já vi umas resenhas sobre o livro, mas não li ainda.
    Acho o tema muito delicado, e precisa ser abordado com jeito certo pra não ser cansativo.
    Gostei de saber da narrativa ágil e de facil compreensão mesmo tratado as coisas tão tecnicas.
    O autor foi bem inteligente em estudar o tema.
    Gostei da resenha e de saber mais sobre a obra!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  5. Oi!!!
    Não conhecia esse livro. Mas achei fascinante um autor se interessar por escrever sobre síndrome do pânico. Um assunto tão atual e comum e ainda assim pouco explicado e cheio de preconceitos.
    Só quem passa por isso sabe o quanto é difícil para a pessoa que tem. E o quanto de julgamento vem de quem não entende e não conhece.
    Sei disso por experiência própria. Tenho SDP a 4 anos e estou a 2 num tratamento intensivo e praticamente trancada em casa.
    O tratamento é longo e nem sempre tem o efeito que desejamos. E muitas vezes dá vontade de desistir de tudo.
    Vou procurar esse livro para ler. Creio que me identificarei muito com a protagonista.

    Bjs

    www.cladassombras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Esse livro me parece ter uma trama interessante e uma grande carga emocional.
    Li sobre ele em outros blogs sempre com comentários responsáveis.

    http://cafeecomletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi tudo bem?

    O livro parece bem interessante, e ainda não tinha ouvido falar de nenhum outro que abordasse esse tema, mas como você mesmo falou esse livro pode ser um pouco "tedioso", e como prefiro livro com bastante ação, ele não é muito meu estilo.

    abs.

    http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rafa. Lembro que vc anunciou a parceria e fiquei esperando a resenha. Pois bem... Eu continuo achando o tema interessante e já fico mais aliviada por saber que o enredo não fica parecendo um livro de psicologia, mas temo que as poucas partes técnicas me deixem meio entediada e perdida. Em relação à fé, pode ser que que goste porque essa questão é muito importante pra mim. Só não gosto dessa capa; nem tenho problema com rostos, mas achei que não ficou muito atrativo.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Como disse quando você divulgou a parceria com o autor, apesar de o livro parecer interessante e realmente não estou no clima para este tipo de leitura :( Percebi lendo sua resenha que tinha razão em dizer que este parece ser um livro bastante denso, acho que ficaria bastante angustiada com as situações pela quais a protagonista passa. Além disso, não me dou muito bem com divagações de personagens e acho que ficaria um pouco irritada com isso, no mais o livro aprece ser muito bom! http://blogliterata.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Rafa, tudo bem?
    Tenho visto várias resenhas sobre o livro A Garota Que Tinha Medo, e todo mundo que leu parece estar gostando do autor.
    O que eu mais gostei na premissa desse livro é o fato do autor falar sobre a Síndrome do Pânico que é uma doença muito séria, mas que as vezes as pessoas não levam a sério.
    Estou curiosa para conhecer um pouco mais sobre a história da protagonista Marina.

    Beijo ;*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  11. Não li o livro, porém pela descrição eu imagino que seja bem no estilo A Menina Submersa, o que é uma escrita bem arriscada. A capa também não me chamou muito a atenção.

    Não seria um livro que eu pegaria para ler, mas gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  12. Oiie
    Vi seu post da parceria e fico feliz em ver q vc leu o livro e gostou...
    Me encomoda tbm quando os personagens divagam muito, perdendo um pouco o foco.. mas mesmo assim não atrapalhou o que vc sentiu em relação a leitura.. muito bom!
    Realmente parece ser um livro tocante e de um tema bastante direrente.
    Espero conferir um dia e entender um pouco mais dessa sindrome..
    Bjinhos
    Pam
    Meus Livros Preciosos

    ResponderExcluir
  13. Oi Rafinha, sua linda, tudo bem?
    Não precisa ficar preocupada, sua resenha ficou ótima, você realmente conseguiu explicar o drama da personagem. Sabe qual é o maior problema na minha opinião? A pessoa que está em depressão não consegue sair e as pessoas que estão ao redor não sabem como ajudar, pois no fundo, acho que ninguém entende. É muito difícil, precisamos ter fé mesmo. Não vejo a hora de ler o livro também.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Rafa lindona o tema abordado é de suma importância ,gostei de saber que o livro é dividido em partes antes das crises tratamento, e imagino a importância da leitura para você sendo que seu irmão teve a síndrome . Gostei muito da capa e o tema abordado merece destaca, o fato da Fé ajudar , reforça a tese que a Fé move montanhas sempre em qualquer situação. beijos ótima resenha

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Rafa, tudo bem?

    Acho que nunca li um livro sobre Síndrome do Panico. O tema é SUPER pertinente. Acho que eu ia ficar bem tensa, em alguns momentos. Imagino que só quem passa por isso sabe como é. Já presenciei duas pessoas tendo uma crise de ansiedade e já foi bem complicado.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  16. OI, Rafa!
    Eu também lembro de ter lido a resenha desse livro no Mais que Livros.
    Realmente é um livro que parece tocar o leitor. O tema abordado é bem delicado, essa doença realmente pode destruir a vida da pessoa. Vou anotar a dica, quem sabe o leio.

    Beijinhos
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  17. Olá... tudo bem?

    Adorei a sua resenha... estava esperando por ela... sabe que eu estou muito interessada na leitura desse livro... eu tenho uma amiga que infelizmente está passando por isso... e está afastada do trabalho a mais de 3 anos... quando vou visitá-la é dificil olhar para ela.... porque ela está muito acabada... claro que ela está se tratando, mas sem muito apoio dos familiares fica muito dificil.... enfim... como nunca li nada do tema tenho muita curiosidade... Xero!!!

    ResponderExcluir
  18. Olá. tudo bem?

    Já li resenha desse livro em algum outro blog e lembro que, quando o vi pela primeira vez, fiquei com muita vontade de lê-lo. Nunca vi nada relacionado à síndrome do pânico na esfera literária (em especial nos nacionais) e achei a ideia de abordar o tema inovadora. Espero poder lê-lo em breve!

    Um abraço,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Raffa, que bom que a leitura foi tão boa para você quanto foi para mim! E que fofo você mencionar que leu a resenha lá no blog, adorei, rs.. Adorei a resenha e sua opinião, o autor soube realmente falar muito bem sobre a síndrome do pânico.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  20. Já estava de olho nesse livro, Rafa, e gostei de saber que a síndrome do pânico foi tão bem retratada. Acho que nunca vi esse assunto em outro livro também não, e é um tema que me interessa. Pra você deve ter sido uma leitura bem intensa mesmo por causa do seu irmão. Meu único receio é essa questão religiosa, mas espero que não chegue a me incomodar. Desde que não exista uma tentativa de me converter fica tudo tranquilo... rs...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  21. Sou apaixonada por histórias onde os personagens são revelados dessa forma, com todas as suas "imperfeições" e problemas. Alias, personagens com problemas psicológicos sempre me chamam muito a atenção, pois sempre há muito a aprender e a refletir!Adorei sua resenha

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...