Colecionando Quotes #1 - Março/2015

16 comentários: | |

Oi gente, tudo bem? 

Março (finalmente) acabou. E aqui estou eu começando uma nova coluna no blog e que se chamará Colecionando Quotes. Eu adoro quotes, meus livros são sempre cheio de flags marcando as que mais me chamaram a atenção ou que me fizerem refletir e tenho vontade de compartilhá-las com o mundo. Sempre coloco algumas nas resenhas que eu faço, mas não dá para colocar todas, pois alguns livros são muitas. 

Dessa forma, nessa coluna mensal eu irei colocar as quotes que eu mais gostei dos livros que eu li durante o mês. 


A Garota Que Tinha Medo (Breno Melo) - Resenha

1. "Dizem que não nascemos com a sensação de medo, mas que a adquirimos ou a aprendemos; e o aprendizado se dá através das observações de terceiros. Ver alguém com medo exagerado diante de um trovão ou de uma barata pode nos levar, na tenra infância, a acreditar que os trovões ou as baratas são exageradamente perigosos. E então crescemos com essa ideia adormecida em algum lugar de nossas mentes. Numa linguagem mais clara, nossos medos irracionais estão em nosso inconsciente, nesse terreno em que quase ninguém pisa."  (pg. 130)

2. "Quem supera seus medos é mais corajoso que aquele que nunca os teve ou jamais os enfrentou." (pg. 204)

3. "Devo encarar meus medos para que eles não me dominem, mas não devo remoê-los. Está aí a diferença entre o sofrimento necessário e a amargura inútil." (pg. 215)

4. "Há mais loucura ou falta de razão no preconceito das pessoas em geral sobre os distúrbios mentais que nos distúrbios mentais em si." (pg. 227)


Garoto Encontra Garoto (David Levithan)

5. "Acredito firmemente em serendipicidade, quando as peças aleatórias se unem em um maravilhoso momento, quando de repente você vê qual era o propósito delas o tempo todo." (pg. 35)

6. "Sinto vontade de flutuar, porque é simples assim. Ele está feliz que eu o encontrei. Eu estou feliz que o encontrei. Não temos medo de dizer isso. Estou tão acostumado com insinuações e mensagens contraditórias, com dizer coisas que podem significar mais ou menos o que querem dizer. Joguinhos e competições, papéis e rituais, falar em 12 línguas ao mesmo tempo para que as verdadeiras palavras não fiquem tão óbvias. Não estou acostumado com a verdade direta e sincera." (pg. 36)

7. "Prometi naquele momento que jamais hesitaria em falar o que sentia para as pessoas que eu amava. Elas mereciam saber que davam sentido à minha vida. Elas mereciam saber que eram tudo para mim." (pg. 118)

8. "Eu não acredito em abraços parciais. Não conseguindo suportar gente que tenta abraçar sem se tocar. Um abraço deve ser completo; enquanto passo os braços ao redor de Tony, não estou apenas abraçando-o, mas também tentando afastar os problemas por um momento, para que a única coisa que ele consiga sentir seja minha presença, meu apoio." (pg. 119)

9. "Encontro minha maior força em querer ser forte. Encontro minha maior coragem em decidir ser corajoso. Não sei se já tinha percebido isso, e não sei se Tony já tinha percebido, mas acho que nós dois percebemos agora. Se não houver sentimento de medo, não vai haver necessidade de coragem. Acho que Tony vive com esse medo a vida toda. Acho que agora ele o está convertendo em coragem." (pg. 185)

10. "A sensação de uma pequena vitória é assim: parece uma pequena surpresa e um monte de alívio. Faz o passado parecer mais leve e o futuro parecer mais leve ainda, mesmo que por um momento. Parece a leveza vencendo. Parece uma possibilidade." (pg. 187)

11. "Na próxima troca de música, eu me afasto. Quero ver isso tanto quanto quero ser parte de tudo. Quero me lembrar de como foi. Fico impressionado com o amor que sinto por tantas pessoas. Fico impressionado com a aleatoriedade, com a comédia e com a fé que nos une e nos mantém unidos. Eu me abro e absorvo tudo. A cena se desenvolve como uma rapsódia." (pg. 219)

12. "Quando um primeiro encontro da certo é assim:
Você sente a emoção de abrir a primeira página de um livro. 
E sabe, instintivamente, que vai ser um livro bem longo." (pg. 235)


Apenas Um Dia (Gayle Forman)

13. "Ser ou não ser, eis a questão. Isso é de Hamlet, talvez o monólogo mais famoso de Shakespeare. Tive que decorar todo o discurso no primeiro ano de inglês no ensino médio, e até hoje consigo me lembrar de cada palavra. Na época, não pensei muito sobre o assunto. Só queria decorar direito todas as palavras e tirar meu A. Mas, e se Shakespeare, e Hamlet, estivessem fazendo a pergunta errada? E se a verdadeira pergunta não se referir a ser, mas a como ser?"

14. "Parte de mim sabe que mais um dia não servirá para nada além de postergar o coração partido. Mas outra parte de mim pensa diferente. Nascemos em um dia. Morremos em um dia. E podemos nos apaixonar em um dia. Qualquer coisa pode acontecer em um dia."

15. " - Acho que você é o tipo de pessoa que acha dinheiro no chão, balança a nota no ar e pergunta se alguém a perdeu. Acho que chora nos filmes que nem são tão tristes porque tem um coração mole, apesar de não demonstrar. Acho que faz coisas que a assustam, e isso a faz mais corajosa do que aqueles malucos por adrenalina que saltam de bungee-jump das pontes." 

16 "Mas não há cartões-postais disto aqui. Da vida."

17. "Porque hoje parecia que os acasos pertenciam a nós dois."

18. "E Willem ri de novo. O som é claro e forte como o de um sino e me enche de alegria. É como se, pela primeira vez na minha vida, eu compreendesse que este é o verdadeiro sentido do riso: espalhar felicidade."

19. "Se o tempo pode ser fluido, então talvez algo que seja apenas um dia possa continuar para sempre." 



Espero que tenham gostado dos quotes que selecionei e da coluna. Já leram algum desses livros, o que acharam? Também marcaram várias frases?







Dicas da Semana #7 - Séries de TV

20 comentários: | |

Oi gente, tudo bem? 

Estou de volta hoje com mais um post de Dicas da Semana. Gosto muito desse post, já que posso falar sobre tudo, mas acaba sendo difícil saber o que postar e por isso não faço a coluna tanto quanto gostaria. 

Na coluna de hoje eu iria falar só de uma série, minha paixão do momento, mas como eu não sei falar muito de séries, ia ficar sem quase nada para postar. Então vou colocar aqui algumas das séries que tenho acompanhado no momento. Não são muitas porque não costumo assistir a várias séries, sou meio chata para achar algo que me agrade.


The Vampire Diaries 


Acho que todos conhecem essa série. Se você já não assistiu, com certeza já ouviu falar. A série é baseada nos livros da autora L.J. Smith, mas a série de livros é completamente diferente da série de TV.

Eu comecei a assistir em 2009, mas na época parei na metade da primeira temporada e nunca mais tive vontade de assistir. Apenas recentemente enquanto estava zapeando pelos canais eu acabei vendo um pouco de um episódio da 6ª (e atual) temporada e deu vontade de voltar a assistir. Gosto muito dela, mas tem momentos em que a Elena (Nina Dobrev) me irrita profundamente.  

A série está na 6ª temporada e passa no canal MTV, mas está em hiatus.


The Originals


O que falar dessa série que conheço há pouco tempo e já considero pakas? 

Para quem não sabe The Originals é um spin-off de The Vampire Diaries. Ao contrário da original, ela não se foca no romance e no triângulo amoroso e sim na vida dos irmãos Mikaelson - a família Original de vampiros. E o que falar dessa família? Simplesmente adoro eles com todas as suas imperfeições. 

Se você gosta de ação essa é a sua série. Em todo capítulo algo acontece, e se você pensa que as coisas ficarão calmas, algo ainda pior acontece.

Não tenho como não declarar meu amor pelo Klaus (Joseph Morgan). Sério, ele pode ser sádico, fazer um monte de besteira, atacar todos e constantemente tirar seus irmãos de cena, mas com certeza ele é maravilhoso. 

A série atualmente encontra-se em hiatus no canal MTV e está em sua segunda temporada (e nossa, estou quase surtando para voltar a ter episódios inéditos)




Revenge


Revenge também é uma série eletrizante, mas no momento não estou gostando tanto quanto eu já gostei. Conta a história de Emily Thorne (Amanda Clarke) interpretada por Emily VanCamp que volta aos Hamptons em busca de vingança às pessoas que destruíram a sua família e causaram a morte de seu pai. 

No início gostei muito dos planos de vingança da Emily, ela é extremamente inteligente e habilidosa, mas em algum momento da série acho que ficou muito repetitivo e na temporada atual acho que a série se perdeu um pouco. Entretanto, vou continuar acompanhando. 

Com toda a certeza meu personagem favorito é o Nolan Ross (Gabriel Mann). Sem ele a Emily não teria conseguido orquestrar nem a metade de seus planos de vingança e ele é simplesmente divo 

Me diz? Como resistir a essa carinha?


Bones

Por último, mas não menos importante temos Bones. A série acompanha a Dra. Temperance "Bones" Brennan (Emily Deschanel) que é uma antropóloga forense e sua turma do instituto Jeffersonian juntamente com o agente especial do FBI Seeley Booth (David Boreanaz) em diversos casos de assassinato envolvendo restos mortais das vítimas - especialmente ossos. 

Comecei a assistir em um momento de tédio e não pensei que fosse gostar tanto já que não sou muito fã de séries de detetives. Mas acho que a forma de resolver o assassinato e encontrar o assassino, através dos restos mortais das vítimas e as análises dos ossos que me fez continuar a assistir. Também preciso dizer que os personagens são ótimos e a relação da Bones e do Both é muito engraçada de se acompanhar.

Há algumas (muitas) cenas bem nojentas com os corpos em estágio avançado de decomposição e algumas coisas que a gente nunca imaginaria ser possível. Então se cenas desse tipo não são a sua praia, melhor ter bastante cuidado.

A série passa atualmente no canal Fox Life e se não me engano terminou recentemente a 9ª temporada. A 10ª temporada já foi anunciada pelo canal.



Então, gostaram das minhas dicas de série? Já assistiram alguma dessas? Se tiverem alguma dica de séries me falem que eu posso ver se gosto.Todas as séries que eu citei é possível encontrar no Netflix as temporadas anteriores. 

Me falem também o que mais vocês gostariam de ver aqui nos post de Dicas da Semana. 












Resenha #34 - Máscara (Luiz Henrique Mazzaron)

17 comentários: | |

Autor: Luiz Henrique Mazzaron
Editora: Novo Século (Novos Talentos da Literatura Brasileira)
Ano: 2013
Páginas: 368
Onde comprar: Aqui




"Liam é um garoto que viveu por muito tempo isolado devido aos constantes castigos do sádico tio, um carrasco ex-militar. Porém, inesperadamente, surge uma entidade maléfica, uma figura das trevas trajando uma máscara, e passa a o perseguir, levando-o a participar de um jogo num mundo surreal, chamado Domus.                                                                                                                                 Junto a um grupo, Liam parte para uma experiência alucinante, em que os pecados da humanidade serão colocados em xeque, como uma espécie de julgamento. Um combate onde o principal objetivo do adversário é mostrar o quão odiosa é a raça humana.                                                                                                                             Mas ainda há muitos mistérios que rodeiam este intrincado jogo. Por qual motivo a criatura possui tamanha obsessão por ele? E vale a pena prosseguir, já que a morte é a única certeza? 

Livro cedido em parceria com autor 


Em Máscara conhecemos a história de Liam, um menino que passou grande parte da sua infância nas mãos do tio, um ex-sargento abusivo e sádico. Entretanto, um dia algo acontece e ele consegue se libertar do tio, mas as consequências não serão fáceis. Muitas mortes acontecem e a vida de Liam, que já não era fácil, fica ainda mais imprevisível. 

Dez anos depois, Liam, agora com 17 anos, vive com uma família um tanto diferente, mas está feliz. Ele teve um recomeço. Juntamente com outras pessoas que perderam entes queridos e tiveram uma parte da vida arrancada no que ficou conhecido como o Massacre de Green Valley, dez anos atrás. 

Entretanto, há alguém a espreita do nosso protagonista, mais precisamente uma entidade maléfica que usa uma máscara e que está há anos em busca dele, e agora finalmente consegue capturá-lo. Dessa forma Liam se verá no mundo de Domus e será obrigado a enfrentar diversas provas, desafios e será obrigado a tomar as mais difíceis escolhas em sua vida.

"No mundo de Domus, a morte é a moeda que alimenta o jogo. E a verdade pode custar a vida."

Em Domus, Liam é a chave de um jogo sórdido e cruel. E seu primeiro desafio é escolher quem vive e quem morre. A entidade maléfica o obriga a escolher 5 entre 10 pessoas para viver. Cada uma dessas pessoas tem um pequeno histórico sobre a sua vida e tem uma característica que na opinião da entidade é condenável. Tem-se estuprador, assassino, traidor, corrupto, ladrão, sádico, entre outras características.

Depois de sua escolha, Liam e as pessoas que ele decidiu que merecem viver partem em rumo ao verdadeiro jogo. Domus é uma realidade paralela, um mundo igual ao real, mas eu classificaria como um mundo pós-apocalíptico. Imaginem um mundo destruído por um apocalipse zumbi, e é exatamente assim que imagino Domus... e acredite, zumbi é o que não faltará nessa história. 

Liam e sua turma passarão por diversos desafios nesse mundo, muitos deles extremamente cruéis e que nos mostrarão o lado mais "sujo" do ser humano. Na realidade o principal objetivo do jogo é mostrar os pecados da humanidade e cada desafio é uma espécie de julgamento. Por várias momentos, Liam terá que escolher a opção menos pior para defender algo em que acredita. E inevitavelmente Liam ficará mexido com tanto horror e em alguns momentos ficará tentado a tomar algumas ações que seriam questionáveis. 

O livro é contado em terceira pessoa, e isso é ótimo, pois o livro tem muita ação, e há momentos que as personagens estarão em lugares e situações completamente diferentes. Dessa forma conseguimos ter uma visão geral da história e também iremos conhecer um pouco de cada personagem. O autor descreve bem a personalidade de cada um dos personagens.

Já tinha lido em várias resenhas que é um livro muito assustador e que não deveria ler a noite. Não senti medo em nenhum momento durante a leitura, mas o livro realmente não é recomendado a todos, tem cenas bastante pesadas e algumas são de embrulhar o estomago. Então recomendo a quem tem coração fraco para esse tipo de leitura, que leia com calma. Apesar disso, a narrativa do autor é envolvente que você sente que está participando de cada prova juntamente com os personagens.

Eu gostei do livro, foi uma leitura que valeu bastante a pena e que eu já estava curiosa há bastante tempo. Entretanto, eu imaginava algo diferente, mas não sei exatamente o quão diferente (que louco né!?). Por vezes me senti horrorizada diante de tanto sofrimento que em grande parte da história eu não conseguia entender o motivo para tudo isso, que foi um pouco explicada na última parte do livro. Além disso, por mais que a leitura tenha sido envolvente e prendeu bastante minha atenção desde o início, não consegui sentir muita empatia pelos personagens. Apesar disso, o final me deixou aflita e curiosa o bastante para querer ler o segundo volume. 

Recomendo o livro para quem gosta de histórias fortes. É um livro que mostra até onde a ambição e arrogância podem levar, em que a mentira pode nos tornar um alvo e que a verdade virá a tona de alguma forma. Domus é um mundo em que ninguém está a salvo, que cada um terá que confrontar aquilo que realmente é, e não se sabe se será possível sair vivo de lá. 

"Ele era o mal. Ele era aquilo o que você mais teme. Ele era a sombra que o perseguia na luz. Sua missão era achar o menino. Aquele menino era especial. O destino demandava que ele fosse eliminado." (pág. 50)

Fonte - Máscara - A vida não é um jogo









TAG #18 - 7 Coisas

25 comentários: | |

Oi gente, como estão? 

Há um tempo atrás a Rob da Estante da Rob me marcou nessa TAG e hoje eu vim aqui responder. Como o nome diz, consiste em dizer 7 coisas sobre mim em cada uma das perguntas.



7 coisas para fazer antes de morrer

1. Ir a Londres
2. Ir ao The Wizarding World of Harry Potter em Orlando
3. Aprender a falar alemão
4. Aprender a tocar violão
5. Perder o medo e pular de para-quedas 
6. Passar em um concurso público
7. Conhecer a J.K. Rowling e David Levithan (não custa sonhar)


7 coisas que eu mais falo

1. Estou cansada
2. Estou com preguiça
3. Só que não
4. Estou com sono
5. Estou com fome
6. Amanhã eu faço
7. Não vou comprar mais livros até ler os que eu tenho (quem não fala?)


7 coisas que eu faço bem

1. Ler
2. Dormir
3. Titulação
4. Andar de patins (não sou profissional, mas ando bem)
5. Escrever resenhas (eu acho)
6. Ouvir
7. Economizar dinheiro


7 coisas que me encantam



1. Natureza
2. Livros
3. Música
4. Química 
5. Bebês
6. Sotaque gaúcho (ah, não resisto)
7. Patinação artística no gelo


7 coisas que eu não gosto

1. Mentira
2. Comida japonesa
3. Violência
4. Química Orgânica
5. Física
6. Emprestar um livro e voltar todo amassado, sujo
7. Me sentir pressionada a fazer alguma coisa


7 coisas que eu amo

1. Ler
2. Química
3. Ouvir música
4. Meu blog
5. Meus amigos
6. Viajar
7. Dormir


7 blogs para indicar para responder a TAG

Não vou indicar nenhum, mas se quiser responder ou já tiver respondido, deixe o link que vou adorar saber as respostas de vocês. 


Espero que tenham gostado de saber mais um pouquinho de mim, pois eu adorei responder a TAG. As duas fotos foram da minha viagem para Foz do Iguaçu 








Resenha #33 - As Faces da Luz (Tatiane Durães)

32 comentários: | |
Autora: Tatiane Durães
Editora: Cata-vento
Ano: 2014
Páginas: 452
Onde comprar: Aqui



Ao ser forçada a atravessar um portal por um imenso lobo, Tayara se depara com um mundo que jamais imaginara, elfos e bruxas passam a fazer parte de sua realidade. Mas o que ela não sabe é que seu destino fora traçado muito antes do seu nascimento.                                                                                                       Agora ela terá que escolher entre a razão e o coração, pois ao se apaixonar por um elfo, descobre que uma forte maldição a prende a ele.                                                                                                                                       Uma aventura repleta de magias e descobertas, se inicia.

Livro lido através do Book-Tour realizado pela autora




Essa resenha era para ter saído ontem, mas devido a alguns imprevistos eu não consegui escrever a tempo. As Faces da Luz é o primeiro volume da trilogia Arcantatys da autora Tatiane Durães. 

Ao ser forçada a atravessar um portal no terreno de sua casa em São Paulo, Tayara e sua mãe se veem em um mundo totalmente novo: Arcantatys. Sua mãe Sonia descobre que  é de uma linhagem real de elfos: os Lamouniers. Isso deveria fazer de Tayara uma elfa também, certo!? Errado. 

Em Arcantatys Tayara aprende sobre sua vida e sobre quem realmente é e o que ela é capaz de fazer. Ela descobre que ela nunca estará sozinha, mesmo que todos os abandonem. E ela se vê apaixonada por um lindo elfo chamado Aodh, mas descobre que uma maldição a liga a ele. 

Gostei muito de conhecer Arcantatys e todos os seus seres mágicos. Elfos, bruxos, lobisomens, vampiros, fadas, dragões e muito mais. Descobrimos que os elfos não são dados a misturar com outros seres, mas na corte do rei Cedric não é bem isso que acontece: bruxos, lobisomens, vampiros e elfos forma um grande e unido grupo. Gostei bastante dessa questão de superar os preconceitos, pois outros elfos não pensam da mesma forma que ele.

Adorei os personagens que a autora criou também. Gostei muito do jeito da Tayara, teimosa e que não leva desaforo para casa, mas mesmo assim tem um bom coração. E me apaixonei completamente por Ariosto, o lobisomem que acompanha Tayara e Reagan, um elfo que aparece em determinado momento do livro. Mesmo o Aodh, que em alguns momentos eu tive bastante raiva dele, eu consegui me envolver. A autora soube criar seus personagens. Mesmo sendo vários, todos tem suas características que os tornam únicos. Como vocês já sabem, eu adoro personagens secundários, então nesse livro eu pude me deliciar com vários maravilhosos. 

Há algumas partes do livro que são mais paradas, mas em outras em que há bastante ação. As minhas preferidas, sem dúvida, foram as que Tayara e sua turma saiam em alguma missão pelas florestas de Arcantatys. Adorei as descrições dos lugares e as situações em que a Tayara era obrigada a enfrentar. Gostei da forma que ela lutava contra as trevas que existem dentro dela, e mesmo nos momentos em que ela deixava esse lado negro dela vir a tona. 

O livro é narrado em sua maior parte em primeira pessoa pela Tayara, mas em alguns momentos há capítulos que são narrados pelo rei Cedric, que é o rei da aldeia em que Tayara e sua mãe estão. Gostei dessa alternância de capítulos, embora no início tenha ficado um pouco perdida. 

A narrativa da Tatiane é bem ágil e viciante. Em determinado momento da história é impossível largar o livro, e quando você vê, as 452 páginas já passaram. Minha leitura só não foi mais rápida, pois durante a leitura encontrei bastante erro de pontuação e alguns de revisão. Isso me atrapalhou um pouco, porque as vezes eu tinha que reler a frase ou paragrafo para captar o verdadeiro sentindo. Isso, entretanto, não atrapalhou meu envolvimento com a história.

As últimas páginas me deixaram aflitas e eu não queria que acabasse, e agora estou simplesmente louca pela continuação, pois eu digo para vocês, a autora foi muito malvada em terminar o livro no ponto que terminou.

Essa história mostra que nem todos são sempre bons ou ruins, que algumas atitudes que você toma no passado não define quem você é no presente e que você pode se arrepender do que fez e querer mudar. Que se você deixar os preconceitos de lado é possível viver de uma forma totalmente diferente. Recomendo a todos que gostam de uma boa fantasia e que gostam de personagens forte e determinadas, personagens cativantes e bem construídos. 










Parceria: Simone Taietti

13 comentários: | |

Oi gente linda, tudo bem com vocês?

Hoje eu venho anunciar mais uma parceria com autora que o blog firmou. A mais nova autora parceira do Vamos Falar de Livros? é a Simone Taietti. Ela escreveu o livro Uma Vida Para Sempre, o qual já li algumas resenhas excelentes. 

Desde já agradeço a autora por ter aceito a parceria. Espero que seja uma parceria prazerosa para nós duas.

Então, vamos conhecer um pouco sobre a obra e a autora?


Sobre o livro: 



Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida.                                                                                                                                                 
Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação.                                                                                                             
As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo.                                                                                                                                                       Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias.
Quanto dura o para sempre?
Ethel descobriu.


Sobre a autora:




Nasceu em 1994, ano em que o mundo perdeu Kurt Cobain e Aryton Senna e em que Nelson Mandela se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul.                                                                                                           Descobriu ainda no Ensino Médio sua grande paixão: a escrita. Tem preferência pelas histórias palpáveis, a inconstância da vida, aquilo que pode acometer qualquer um.                                                                                                                                                                                       Em 2011 foi uma das ganhadoras do 7º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, na categoria estudante de Ensino Médio, concorrendo com 3.375 outros textos.                                                                                                                                                                      "Uma Vida Para Sempre" é seu primeiro livro publicado.                                                                                                                                                                                                 Vive em Tangará - SC. É acadêmica de Direito na Universidade do Oeste de Santa Catarina. Divide seu tempo entre a escrita, leitura, estudos e os seriados de que tanto gosta.

Links: 



Então gente, o que acharam? Eu gostei bastante da sinopse. Gosto muito de livros que tratam sobre doenças e ainda mais quando é YA. Essa capa é linda ou não é!? Tão simples e delicada. Espero gostar bastante da história. Aguardem que em breve terá resenha para vocês.




















52x5 Momentos Para Compartilhar - Semana 6 a 8

17 comentários: | |

Hi pessoas! Tudo bem com vocês?

Faz tempo que não faço os posts do projeto 52x5 Momentos para compartilhar. Dessa forma os temas se acumularam, mas não quis pular. Então hoje eu vou fazer os temas da semana 6 a 8 e em outro post eu faço os temas 9 a 11. 

Para ver todos os temas e ver as minhas respostas dos temas anteriores é só clicar aqui


Semana 6: Os super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super-herói seriam:


1. Cura instantânea
2. Ficar invisível
3. Teletransporte
4. Transfigurar em animal 
5. Controle mental



Semana 7: Eu sempre...

Esses temas que são livres para a gente interpretar acabam sendo os mais difíceis para mim. Afinal, o que falar de eu sempre...? Bom, considerando o sempre mais por força de expressão, vamos lá:

1. Quis ter um amigo gay
2. Quis ver neve
3. Tive cabelo cacheado (perdão gente, mas não sei o que colocar)
4. Gostei de beber coca-cola (é, faz mal, mas enfim)
5. Gostei de gibis da Turma da Mônica


Semana 8: Os melhores filmes infantis que já assisti foram:

1. Procurando Nemo



2. Carros (Mate )


3. Monstros S.A. (Boo )


4. Meu Malvado Favorito (Minions )



5. Ratatouille 





Espero que tenham gostado das minhas respostas.

Beijinhos,






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...