Resenha #12 - Fale! (Laurie Halse Anderson)

| |
Venho aqui hoje com mais uma difícil missão, resenhar o livro Fale! da autora Laurie Halse Anderson.


Título: Fale!
Título Original: Speak
Autora: Laurie Halse Anderson
Editora: Valentina
ISBN: 978-85-65859-07-3
Ano: 2013
Tradutor: Flávia Carneiro Anderson
Páginas: 248

Sinopse: “Fale sobre você... Queremos saber o que tem a dizer.” Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio. O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia.

E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra - insultos e deboches, sim - ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir.

Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?



Fale! foi publicado em 1999 nos EUA e logo se tornou um fenômeno, tendo ganhado diversos prêmios em diferentes categorias. Apenas em 2013 a editora Valentina publicou ele aqui no Brasil e considero isso um grande presente.

Em Fale! acompanhamos a história de Melinda Sordino. Melinda era uma menina normal, tinha boas amigas e ia bem no colégio. Entretanto, em uma festa que ela e suas amigas vão no final do verão, dada pelos alunos do último ano do ensino médio, algo acontece. E Melinda, desesperada, não vê outra saída e acaba ligando para a polícia. E com isso vários colegas vão para a cadeia.

Entretanto, ninguém sabe direito o que aconteceu naquela festa. O que levou Melinda à ligar para a polícia. Ela não falou o que aconteceu para ninguém, nem para sua então melhor amiga Rachel, nem para seus pais. Ao passar dos dias, Melinda vai ficando cada vez mais retraída, mais solitária e mais silenciosa.

Começamos acompanhar a história no início do primeiro ano do ensino médio. É através da visão de Melinda que passamo a conhecer esse ambiente tão competitivo e hostil que a escola pode ser. Com sua visão aguçada de ver as coisas e levemente irônica conhecemos quem são seus professores, as matérias que eles vão dar, as diferentes tribos do colégio, suas ex-amigas e também passamos a entender o motivo que fez Melinda ligar para a polícia.

"Os alunos mais velhos podem ficar perambulando até o sinal tocar, mas os do primeiro ano são conduzidos como rebanho até o auditório. A gente se divide em tribos: Atletas, Clubbers, Pseudointelectuais, Cheerleaders, Lixo Humano, Euro-ralé, Futuros Fascistas Americanos, Minas Cabeludas, as Marthas... 
... Eu não pertenço a nenhuma. Desperdicei as últimas semanas de férias vendo desenho idiotas. Não fui para o shopping, nem para o lago, nem para a piscina, nem atendi ao telefone. Entrei no ensino médio com o corte de cabelo errado, as roupas erradas, a atitude errada. E não tenho ninguém com quem possa me sentar."  (pg. 16)
Com esse trecho, logo no início, já percebemos que a vida de Melinda não vai ser fácil. Ela ainda está bastante fragilizada e não consegue contar o que houve, e esse é o motivo de não conseguir se expressar. 

A narrativa é feita em primeira pessoa. Melinda nos narra seus dias no colégio com uma riqueza de detalhes e de um modo extremamente bem humorado. Dando apelidos e criando expressões. Aliás, achei esse modo de narrativa muito interessante. Parece realmente que estamos nos pensamentos de Melinda, e ela nos narra do jeito que as pessoas falam.

O texto tem poucos diálogos e os que acontecem geralmente acabam sendo monólogos, porque Melinda pouco fala. Aliás, ela fala apenas o que acha necessário. Ela tenta se expressar e contar o que houve no dia da festa, mas não acha que isso será realmente benéfico, pois em seu pensamento não vão acreditar nela.

"Está cada vez mais difícil falar. A minha garganta vive ferida, os meus lábios em carne viva. Quando acordo de manhã, o meu maxilar está tão contraído que me dar dor de cabeça." (pg. 67)
É possível perceber como o silêncio é difícil para Melinda, mas falar também é. Essa situação se reflete no seu dia a dia, ela se sente cada vez mais retraída, e procura sempre se esconder. Essa situação se reflete nas suas notas. Entretanto, é na aula de arte que ela encontra um refúgio necessário, e em seu difícil projeto, ela encontra uma motivação. Apesar de ter muita dificuldade, ela conclui e com ele também lhe dá a iniciativa para falar.

Contracapa com os prêmios que o livro ganhou
Achei Fale! um livro incrível. Ele não trata somente do abuso contra uma adolescente. Ele trata do bullying. De como é difícil passar por essa fase escolar, ainda mais se não tiver em que se apoiar. Melinda sofre bastante com essa sua condição, e ela escolheu calar ao invés de falar, e devido a isso ela as consequências do que ela sofreu foram ainda mais graves.

Além da Melinda, que é uma personagem incrível e que muitas pessoas vão se identificar. O prof. Freeman merece destaque. Ele sempre, de uma forma ou de outra, apoiou Melinda e esteve presente se ela quisesse falar. E com o seu jeito de ver o mundo através da arte, ajudou bastante. Assim como o parceiro de laboratório da Melinda, David Petrakis, ele foi a pessoa que do seu jeito conseguiu apoiar a Melinda e é um personagem extremamente inteligente e fala o que acredita.

 A diagramação do livro está muito boa. A editora Valentina teve muito cuidado com a parte gráfica do livro. A cada início de uma parte do livro, que é dividido nas avaliações das matérias de Melinda vemos a imagem dessa árvore, que tem tudo a ver com o livro.

Ao final podemos acompanhar um extra, que contém uma entrevista incrível com a autora e algumas informações dadas por ela. Também possui um guia de discussão, pois esse foi um livro recebeu o "Altamente Recomendável" norte-americano para leitura escolar. Aliás, acho que esse deveria ser um livro paradidático nos colégios. Além disso, uma leitura obrigatória para adultos também. Pois o abuso sexual infantil deve ser sim discutido entre crianças e adolescentes.

O livro foi adaptado para filme. O filme se chama O Silêncio de Melinda e foi lançado em 2004 e conta com Kristen Stewart no papel de Melinda. 

Vou terminar minha resenha por aqui, pois acho que ficou grande demais. Termino dizendo que é uma leitura altamente recomendada. Ela trata o tema do abuso sexual de uma forma leve, porém eficaz e deve ser ser sim uma leitura obrigatória.



Deixo aqui o Trailler do filme para quem se interessar. Ainda não assisti, mas pretendo fazê-lo brevemente. Segundo a autora, ele foi bem fiel ao livro.






13 comentários:

  1. Adorei a resenha, esse livro parece ser bom e eu vou procurar o filme para ver.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise,

      O livro é muito bom mesmo, procure sim, não é tão bom quanto o livro, mas é um bom filme.

      Obrigada pela visita!!

      Beijinhos!

      Excluir
  2. Parece ser um livro bem fofinho e ao mesmo tempo um pouco pesado. Adorei a resenha.
    Beijos,
    viajandoentrepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assim Caroline, tem suas partes engraçadas e tem as partes mais tensas. Acho que é um ótimo livro e trata da questão muito didaticamente e de uma forma mais leve.

      Que bom que gostou da resenha!!

      Beijinhos!

      Excluir
  3. Oi Rafa!
    Não conhecia o livro, parece uma leitura bem forte, por tratar-se de assuntos pesados como abuso e bullying. Coitada da Melinda por ter passado tudo o que passou. =/

    Não lio livro, mas pela tua resenha também acredito que deveria ser leitura obrigatória.

    Um beijão
    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara, é uma leitura forte sim, mas o modo como a autora tratou o assunto foi muito bem desenvolvida e acaba não sendo tão forte, é mais um livro para refletir. E é bem didático, além de se passar no ambiente escolar, a gente acompanha o dia a dia da Melinda e como ela age, no final do livro tem um guia de discussão... e no EUA ele é bem usado nas escolas de ensino médio... acho que deveria ser usado aqui também. Muitas vezes só nos mandam ler aqueles autores clássicos para as aulas de literatura e acabamos não lendo livros com temas mais atuais e que geram discussões e são tão presentes.

      Obrigada pela visita!!

      Beijinhos!

      Excluir
  4. Me deu um certo medo isso... Ela foi abusada? E fiquei curiosa. O que ela viu? Parabéns pela resenha, ela atiçou minha curiosidade Jkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou responder suas perguntas x) mas dei umas dicas na resenha. Se quiser, vale a pena conferir o filme, não é tão bom quanto o livro, mas é um bom filme.

      Obrigada pela visita!!

      Beijinhos!

      Excluir
  5. :O
    Nossa depois que eu Garotas de Vidro dessa mesma autora eu quis incessantemente ler Fale, mas o livro é muito curto e custa muito caro. Preciso dele urgente, acho que vou baixar em pdf e lê hoje mesmo. #Partiu
    ameiii saber que tem o filme e ain quero os dois agora....
    beijinhos da Lêeh
    http://maetoescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lêeh, é bem caro mesmo. Aliás, acho os livros dessa editora em geral caros. Mas vale a pena, espero que consiga achar em pdf para ler. O filme também é bom, embora não tão bom quanto o livro e teve algumas pequenas coisas que me incomodaram.

      Eu quero muito ler Garotas de Vidro.

      Obrigada pela visita!!

      Beijinhos!

      Excluir
  6. Oi Rafaella,
    Eu já ouvi falar do filme e ainda não o assisti e logo que li a sinopse de Fale! lembrei do filme e descobri que um fora baseado no outro. Adicionei o livro os meus desejados e só irei assistir ao filme depois da leitura. Imagino que deva ser uma leitura em certas partes difícil e delicada pois não deve ser nada fácil ser abusada e ainda conviver com os olhares dos colegas de colégio. Espero ler esse livro muito em breve.
    Beijos,
    Andréia, StarBooks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andreia, eu conhecia o livro há um bom tempo, mas não sabia que tinha filme. O filme é bom, mas o livro é infinitamente melhor.

      A leitura é bem difícil em algumas partes sim, mas a autora trata o tema com delicadeza. É muito angustiante a Melinda tendo que conviver com os colegas e muitos a detestam por causa da ligação para a polícia, e é ainda mais angustiante ela não conseguir falar sobre o que aconteceu.

      Espero que aprecie a leitura, assim como eu.

      Obrigada pela visita!! Beijinhos!

      Excluir
  7. Eu gostei desse livro, também, gostei da forma que a autora transmitiu os sentimentos angustiantes da Melinda e a forma como todos se mantinham afastados sem perceberem pelo que aquela jovem moça passava e como pouco a pouco ela começa a deixar a casca que a protege.Assisti ao filme e é bom,mas o livro é bem melhor

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...